ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

Perdoem-me os meus queridos leitores e leitoras mas, neste dia em que se completam trinta e cinco anos de mútua entrega e dedicação, este jardim vai encher-se de flores para a muito amada companheira desta já longa história de AMOR: Lurdes, mais bela e amada Maria da minha vida, é para ti todo o amor e carinho que conseguir deixar transparecer deste canteiro!

Um dia, já distante mas, cada dia mais presente, uma linda flor, roubou o meu coração como, então, deixei nesta singela (ao jeito dos poetas medievais…?)

CANTIGA DE AMOR
Mote
A flor que vi em botão
roubou o meu coração!
Glosa
Já findava a Primavera,
de mim, tão querida estação,
flor que parecia quimera
subindo, em mim, como hera,
assaltou meu coração!
Das mais belas cores vestida,
logo em si achei prisão:
encheu toda a minha vida,
ao meu amor deu guarida
e dei-lhe o meu coração.
Seus olhos verdes, de esperança,
Mais me acenderam paixão:
p’ra si foi toda a confiança,
jamais quis outra lembrança
– é seu o meu coração!

Na felicidade de amar
pensei: seria ilusão?
Mas, quando a si me fui dar
– oh, como é doce lembrar! –
aceitou meu coração!

Foram tantos os escolhos em nosso caminho! Porém o amor, que tudo vence, foi semente, também e frutificou, por quatro vezes, no nosso ninho!
Quatro amores tanto ou mais lindos, ainda, que o nosso, porque dele se alimentando, fizeram de ti a mamã mais querida e babada do mundo!
Ainda falando “apenas” por seus olhos e sorrisos, tentei dar-lhes algumas palavras, para ti, em dias mais lembrados:
MAMÃ
Teus olhos,
teu sorriso
Mamã, teus cabelos ao vento,
teus braços,
berço feito,
teus cuidados
Mamã:
ternura, carinho, Amor
Mamã!
Tu, minha vida,
és tudo para mim!
porque te tenho,
Mamã,
sou,
sou feliz,
sou o ser mais rico do mundo:
SIM, MAMÃ!
A vida, essa, testou-nos amiúde, curiosa da nossa capacidade de resistir: foram momentos de sofrimento, solidão, ausência sentida, pressentida, (consentida?)… mas passado que, feito presente, nos projectou para o futuro que, hoje, celebramos, entre a alegria do vivido e a vontade de viver, na eternidade possível!
BEIJOS DO TAMANHO DO NOSSO AMOR!

Fotos: Google imagens
Anúncios

13 responses to “ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

  1. Oh Quicas, me desculpa amigo, esta minha falha de não estar ontem aqui presente no aniversário da tua vida em comum com a tua Maria querida!E acho tão lindo quando duas pessoas conseguem se aceitar uma vida inteira, e se perdoar mutamente. Só pode ser pela força de um amor enorrrrrme, tão raro hoje em dia.Vos deixo um abraço deste tamanhão… e o desejo de outros tantos anos de vida em comum com muita saúde e alegria! :))))))Obrigada por teus carinhos no meu sítio :))

  2. quicas querido,beijo teu coração (e o de tua lurdes), com a mesma reverência apaixonada com que beijo minha helena.muitos outros 35 anos pra vocês.meu carinho,anderson fabiano

Agora que "me" leu, se não for pedir demais, queira deixar algum "reflexo" da leitura! Obrigado E... volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s