mãezinha

Mãezinha, ó meu amor,
Mãezinha, dom do Senhor,
Fica comigo para toda a vida!
Os teus olhos, ó mãezinha,
São brilhantes, mais que o céu;
Quanta inveja, o Sol, sustenta
Num olhar teu!
As tuas mãos, ó mãezinha
São ternura, suave calor:
Se me embalas, em teu peito
Respiro amor!
Teu sorriso, ó mãezinha
Minha vida ilumina;
Meu caminho, junto a ti,
É doce sina!
Os meus versos, ó mãezinha,
São amor, mais que trovar:
Sou feliz por ter-te minha,
Por ti cantar!

Foto: Google Imagens
Anúncios

4 responses to “mãezinha

  1. Este poema tocou-me de forma muito especial. Tem palavras que são crianças Num belo jardim a brincar Sob o olhar atento da mãe Que não deixa de as mimar.Lídia Borges

  2. Salvé!Vim a este post porque nunca é demais escrever-se sobre quem nos deu ou devolveu ao mundo; já que acredito que não vivemos apenas esta vida que se atravessa.Viemos para viver em "(COM)UNIDADE" esair de um ventre é talvez mais doloroso o que ser mãe. É a partir daí que o físico, como templo da alma, começa a sofrer; é o 1º passo no Caminho, para que nos anos que se vão seguir, se possa superar ou ultrapassar certas (des)virtudes que desviaram ser humano da sua rota – do projecto anímico a que cada um/a se propôs e se preparou vir cumprir e sobretudo DAR TESTEMUNHO, até se formar num Ser Perfeito.É pois a maternidade o motor que impulsiona a evolução do Ser humano.Não costumo"andar por aí" desenfreadamente a comentar blogs para ser comentada depois…Não utilizo a net, senão para me divertir um pouco criando do básico que aprendi sózinha, a alindar os meus blogs. E sobretudo colocar ao "serviço" da "com+unidade" bloguista o que venho aprendendo e sobretudo experimentando no terreno e vendo os resultados.Ao ler alguns dos seus comentários por onde passei, e sendo eles pouco dados a superficialidades – o que não é muito normal por aí… vim ver quem se tratava e escrevia o quê?!Habitualmente não comento – porque não me interessa de todo – blogs/posts sobre sensualidades, ou afins, ou sobre políticas, ou vidas clubísticas, ou o que se desvie do auto-conhecimento, ou Planeta, ou espiritualidade – sem doutrinas ou filosofias tontas – mas do puro que brote da alma humana…. DAQUILO QUE É ESSENCIA(L) ao Ser e não ao "ter" e suas ramificações.Bonito poema de "criança" gostei muito.Até sempre…Mariz

Agora que "me" leu, se não for pedir demais, queira deixar algum "reflexo" da leitura! Obrigado E... volte sempre!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s